Parto da mãe Fernanda Moraes – Nascimento do Miguel – 10/12/2014

Meu nome é Fernanda, tenho 37 anos, sou mãe do Matheus de 1 ano e 9 meses e do Miguel de quase 3 meses. A gravidez do Matheus foi totalmente planejada e até demorou em acontecer. Já a do Miguel foi uma surpresa, mas foi “planejada por Deus” como uma pessoa me alertou quando eu dizia que não foi planejada. De qualquer forma, ficamos muito felizes, embora assustados já que ainda tínhamos um bebê em casa. Matheus nasceu em um parto natural hospitalar de 39 semanas e 4 dias, um trabalho TP de 8 horas. Quando soube que teria outro filho, o parto domiciliar já era para mim uma certeza. Nunca duvidei da minha capacidade de parir em casa, mas queria uma pessoa que pudesse confiar ao meu lado. A EO que acompanhou o nascimento do Matheus não pode me atender desta vez, devido a DPP e distância. Aliás, minha DPP era para 26/12/14… não preciso dizer mais nada, né?!rs… mas ela me indicou a querida Ivanilde . Marcamos uma consulta e logo senti que estaria também em boas mãos, me senti segura. A gravidez foi ótima e o dia estava chegando… quase tudo providenciado para o parto…
O Parto
No dia 10/12/14, com 37 semanas e 6 dias, eu e meu marido fomos até a casa da Ivanilde para uma consulta. Uma pequena viagem, já que não morávamos muito próximas. A Ivanilde passou para nós algumas orientações para o dia do parto, me examinou e Miguel já estava posicionado bem baixo, mas nenhum sintoma de TP. Cheguei em casa por volta de 12:30h, fiz o almoço, almocei, limpei a cozinha, e foi aí que comecei a sentir algo diferente, mas até aí pensei que seriam os pródromos, que ainda poderiam durar por dias ou que poderia ser o cansaço, já que passei a manhã toda praticamente no carro, mas minha intuição é que estava próximo.
Um pouco antes das 18:00 h pedi para o meu esposo sair para comprar os lençóis descartáveis, já que era a única coisa que faltava providenciar para o parto. Pensei que poderia evoluir durante a madrugada e tal. Assim que ele saiu, minha bolsa estourou!!! As contrações imediatamente começaram com tudo… 3 em 10 minutos…sendo que no meu primeiro parto foi da mesma forma, sem nenhum sintoma significativo prévio e evolução muito rápida. Liguei para o meu marido retornar…e para a Ivanilde. Detalhe: embora nós já tivéssemos comprado tudo para o parto, ainda estava tudo guardado e não havia arrumado, como recomendado pela Ivanilde, dentro do bercinho que compramos, mas ainda nem tinha sido entregue…kkkk…então, já com as contrações, corri para localizar tudo e deixar fácil o acesso. O Matheus estava comigo, sem entender nada,um pouco assustado e percebendo que algo não estava bem.Meu marido chegou e meu filho chorando.Embora minha mãe more pertinho de nós, o plano era ela não estar no parto, embora ela respeitasse minha decisão , ela não tem o perfil para acompanhar um parto domiciliar, mas diante da situação nós,achamos melhor chamá-la pra ajudar com o meu filho, já que queríamos que ele estivesse conosco quando Miguel nascesse.
O que ainda não disse é que o tempo foi passando, o TP evoluindo rapidamente e ainda não tínhamos conseguido contato com a Ivanilde… o celular dela ficou sem sinal, problema na operadora. Que sufoco! Enfim, ela conseguiu ser avisada e voou para nossa casa, mas neste dia choveu, havia muito trânsito… Eu já fui me preparando psicologicamente para parir sozinha, lembrava dos relatos de parto havia lido de mulheres que pariram sozinhas e falava para meu bebê: estamos juntos , somos só eu e você Miguel, vai dar tudo certo! Sentia também algo que me dizia que tudo estava certo… que tudo daria certo.Só sei que foi tudo muito rápido e intenso. Não sei quantas vezes minha mãe perguntou se eu não queria ir para o hospital, pedi que por favor ela fizesse silêncio, que eu só precisava de silêncio.Lembrei das opções de posições que a Ivanilde mostrou nas orientações da consulta pela manhã. Ela disse que a posição deitada de lado seria uma boa opção para preservar o perínio, me senti confortável nesta posição, então pedi para que forrassem o sofá e avisei que iria nascer! E nasceu! No exato momento que nasceu (22:30h), meu marido desesperado sem saber o que fazer(rs) ligou para a Ivanilde e ela avisou que havia chegado! Graças a Deus!!! Foi um alívio geral, ouvir o choro forte do meu filho, por toda a dor ter passado e a parteira ter chegado! Ufa!
A Ivanilde chegou, colocou o Miguel sobre o meu corpo, cantou para ele, nos examinou, fez todos os procedimentos necessários, estava tudo bem… Apesar de todo o sufoco, foi tudo ótimo, sentimento de muita paz, sentimento de orgulho de mim mesma, sabe? Um sentimento de força, se felicidade. Somente pessoas queridas ao meu lado, meu filho mais velho que recebeu lindamente o irmão, minha mãe que no fim das contas participou deste lindo momento, meu marido guerreiro que me apoio sempre. Depois de tudo dormimos felizes juntos. No final tudo deu certo…tinha que ser assim… Gratidão por ter passado por essa experiência que só um parto domiciliar poderia nos proporcionar.
Veja as fotos: